sábado, 15 de maio de 2010

Passageira embriagada faz xixi no check-in de Dubai

A vida na aviação é sempre atribulada, não temos fim de semana, natal, ano novo e estar com a família em ocasiões especiais é sempre um desafio que demanda muito planejamento e jogo de cintura pra fazer as datas calharem.

A vida social se torna irregular e muitos amigos que vivem a vida dita normal não têm o alcance da compreensão de que é preciso coordenar conosco para que os encontros sejam possíveis, e muitas vezes os cancelamentos devido a exaustão física se fazem necessários para que possamos continuar com o trabalho sem sofrer o impacto fisiológico que uma jornada exaustiva acaba gerando.

Principalmente em dias em que a operação é irregular com atrasos cancelamentos e reacomodação de passageiros devido a motivos diversos que podem ser meteorológicos, de segurança ou manutenção visando sempre preservar a integridade do vôo e dos passageiros.

O expediente flutuante e longo, o contato direto com o passageiro e o desafio do serviço x regras de segurança é extenuante e demanda muita energia pessoal. Enfim, pra quem gosta de adrenalina é um prato cheio. O melhor de tudo é que um dia nunca é igual ao outro. Sempre temos um caso pra contar ao final do expediente. E haja casos bizarros.

Optei por não sair postando tudo pois desta forma o blog seria mais agradável a quem não é da aviação. Nós aeroviários somo famosos por falar de mulheres em quanto estamos no vôo e falar do vôo enquanto estamos com mulheres...rsrs (já dizia um Comandante amigo meu). Mas hoje aconteceu algo inusitado que em 13 anos de aviação eu ainda não tinha visto e achei que vale a pena contar.

O vôo para Colombo iniciou tranqüilo, embora estivesse overbooked por 9 lugares sabia que a estatística não representava problema pois o no-show factor costuma ser maior e ao finalizar todos embarcariam sem sequer notar.

Abrimos no horário com uma equipe experiente que fez o chek-in com alegria e cordialidade garantindo o bom serviço. Ao momento do fechamento, às 21:45, duas senhoritas muito bonitas e bem vestidas, com bolsas de grife, uma loira e uma morena, cada uma com uma bagagem pequena, se apresentaram no chek-in.

Pronto para o encerramento recebi-as e ajudei a colocar a bagagem na esteira. A proximidade foi suficiente para notar que ambas exalavam um extremo odor etílico e ao examinar melhor notei que estavam também com os olhos bem vermelhos.

Puxei uma conversa para analisar se a passageira estava em condições de viajar e, enquanto uma das senhoritas tirava seu passaporte irlandês da bolsa me pareceu que ela estava entornado algo no chão, como se tivesse uma garrafa d'água na bolsa.
Foi então que notei que a passageira estava tão bêbada que aquele jorro que caia era urina e que a mesma não conseguiu segurar e fez xixi no check-in. As duas aparentavam ter entre 32 a 38 anos, e a mais nova tentou desviar minha atenção já prevendo o pior.

Pedi licença e me reportei à gerente da empresa aérea à qual presto serviço, explicando o estado da passageira e informando que iria negar-lhe o embarque. A representante olhou bem para as duas e disse que não precisava. Foi então que eu pedi que ela me acompanhasse e me distanciei uns 4 metros do balcão e pedi pra que ela olhasse novamente em direção às passageiras.

Disse a ela: _Você está vendo aquela poça? _Sim - respondeu ela. _Então, aquilo não é água. Você tem certeza que quer autorizar o embarque destas duas neste estado? _ Como assim não é água?-perguntou._Aquilo é xixi. Ela está tão passada que fez ali mesmo, em pé! Foi ai que caiu a ficha da Gerente.

Me preparei para o barraco e fui direto até as passageiras e disse que não seria possível aceitá-las no vôo pois não estavam aptas. Ai já viu né? Lá vem conversa de briaca. Bla, bla,bla. Sabe como é, minha irmã tem um problema na bexiga, bla,bla,bla. Você é da onde? Ah do Brasil! que legal namorei um cara de São Paulo, bla,bla,bla. A gente tá bem. Viemos duma festa só bebemos um pouquinho, bla, bla, bla. Até chegar naquele ponto onde a frustração começa a tomar conta e o tradicional "vocesabecomquemestafalando" chega e o "qualoseunomeenumerofuncional" vem logo em seguida. Embora insinuante a passageira não chegou a alterar-se até aquele momento. Mesmo porque por aqui é uma tamanha encrenca embriagar-se e dar vexame. Acaba sempre em cadeia e deportação.

Disse que tinha amigos influentes em Dubai e que meu emprego estaria em risco. Então eu lhe disse que se fosse para perder o meu emprego por alguma influência externa, que o faria com a certeza de estar cumprindo com o meu dever e educadamente me despedi informando que deveriam dirigir-se ao escritório da empresa para remarcar o bilhete pois eu tinha que supervisionar o embarque do vôo no portão.

Insistente a passageira ainda foi discutir com o gerente de setor enquanto eu atravessava o controle de passaportes em direção ao portão. No final das contas elas não embarcaram e o vôo que havia chegado 10 minutos atrasado do Kwait saiu no horário.

3 comentários:

Ana disse...

haushaushausa e eu que achava meu trabalho ruim!Coragem! Até que ouvir merda pelo telefone é mais confortável hahahahaha
Oi xuxuzãoo vortei!

Carol disse...

eu agradeço! imagina elas no meu voo! aff ehehee

Fred Lavia disse...

@Carol.
Passageiro embriagado não deve embarcar de acordo com as normas de segurança da ICAO-International Civil Aviation Organization (órgão da ONU que regulamenta a aviação civil internaciona)l. E obrigação tanto do pessoal de solo quanto do crew barrar esse tipo de passageiro antes que se torne ameaça potencial à segurança de vôo. Os efeitos da altitude potencializam a ação do ácool no sangue. No que concerne aos vôos que eu gerencio, não embarcam.Mesmo!